SAUDAÇÕES E BOAS VINDAS

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO! PARA SEMPRE SEJA LOUVADO!

Caríssimos e amados irmãos e irmãs em Nosso Senhor Jesus Cristo! Sêde BEM-VINDOS!!! Através do CATECISMO, das HOMILIAS DOMINICAIS e dos SERMÕES, este blog, com a graça de Deus, tem por objetivo transmitir a DOUTRINA de Nosso Senhor Jesus Cristo. Só Ele tem palavras de vida eterna. Jesus, o Bom Pastor, veio para que Suas ovelhas tenham a vida, e com abundância. Ele é a LUZ: quem O segue não anda nas trevas.

Que Jesus Cristo seja realmente para todos vós: O CAMINHO, A VERDADE, A VIDA, A PAZ E A LUZ! Amém!

quarta-feira, 1 de março de 2017

QUARTA-FEIRA DE CINZAS

   "És pó em em pó te hás de tornar" (Gênesis III-19). Estas palavras dirigidas a Adão em consequência do pecado cometido, a Santa Madre Igreja repete-as a cada cristão para nos lembrar do nosso nada e da nossa morte: "Lembra-te, ó homem, que és pó e em pó te hás de tornar". Ao pronunciar estas palavras, o sacerdote impõe as cinzas. A cinza é símbolo de penitência pelos pecados que trouxeram o morte para este mundo. As orações da bênção e imposição dos cinzas e as da Missa nos fazem penetrar no espírito da penitência cristã; humilde submissão, unida a uma grande confiança na misericórdia de Deus. "Ouvi-nos, Senhor, diz o Introito da Missa, porque é benigna a vossa misericórdia; segundo a multidão de vossas comiserações, olhai para nós, Senhor".

  A Epístola nos põe diante dos olhos um exemplo comovente de penitência, o jejum. Eis a Epístola (Joel II-12-19): "Eis o que disse o Senhor: Convertei-vos de todo o vosso coração em jejuns, em lágrimas e gemidos. Rasgai vossos corações e não vossos vestidos; convertei-vos ao Senhor, vosso Deus, que é benigno e compassivo, paciente e rico em misericórdia, e pronto a perdoar a maldade. Quem sabe se Ele não se voltará para vós, se vos perdoará, e não deixará uma bênção atrás de Si [para apresentardes novamente] sacrifício e libação ao Senhor, vosso Deus? Tocai a trombeta em Sião, guardai um jejum sagrado, convocai a assembléia, reuni o povo, santificai a Igreja, reuni o povo, santificai a Igreja, reuni os velhos, congregai os pequeninos e os meninos de peito; saia o esposo de seu aposento e a esposa do seu leito nupcial. Os Sacerdotes, ministros do Senhor, chorem entre o vestíbulo e o altar, dizendo: Perdoai, Senhor, perdoai ao vosso povo, e não deixeis cair a vossa herança no opróbrio, expondo-a aos insultos das nações. Porque se diria entre as nações: Onde está o seu Deus? O Senhor zela por sua terra e perdoa o seu povo. E o Senhor responde e diz a seu povo: Eis que vou enviar-vos trigo, vinho e azeite, deles ficareis abastecidos, e nunca mais vos entregais aos insultos das nações. Assim disse o Senhor Onipotente". 

   E Jesus nos ensina no Evangelho que este jejum deve ser antes de tudo interior, feito com coração reto diante de Deus. Eis o Evangelho segundo São Mateus VI-16-21: "Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: Quando jejuardes, não tomeis um ar tristonho, como o fazem os hipócritas, que desfiguram suas faces, para que os homens vejam como jejuam. Em verdade, eu vos digo: já receberam a recompensa. Mas, quando tu jejuares, unge a tua cabeça e lava o teu rosto, para que não mostres aos homens que estás jejuando, mas só a teu Pai, que está presente ao que há de mais secreto; e teu Pai, que vê no oculto, de dará a recompensa. Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e a traça consomem e onde os ladrões desenterram e roubam. Ajuntai, porém, tesouros no céu, onde não há ferrugem nem traça que consomem, nem ladrões que desenterram e roubam. Porque onde está o teu tesouro, está também aí o teu coração". 

   Nos quarenta dias da Santa Quaresma, os cristãos se unem intimamente aos sofrimentos e à morte do Divino Salvador, a fim de ressuscitarem com Ele para uma vida nova, nas grandes solenidades pascais. É preciso que os Cristãos sacudam a poeira do mundo. A sabedoria da Santa Igreja estabeleceu este tempo propício de quarenta dias, a fim de que as nossas almas se pudessem purificar, e por meio de boas obras e jejuns, expiassem as faltas. Inúteis seriam, porém, os nossos jejuns, se neste tempo os nossos corações se não desapegassem do pecado. 
   As práticas exteriores que devem desenvolver em nós o espírito de Nosso Senhor Jesus Cristo e unir-nos a seus sofrimentos, são o jejum, a oração e a esmola. 

   Jejum: Seria um engano pernicioso não reconhecer a utilidade desta mortificação corporal. Seria menosprezar o exemplo do próprio Jesus. O Prefácio da Quaresma nos descreve os efeitos salutares do jejum: ..."pelo jejum corporal reprimis os vícios, elevais a inteligência, concedeis a virtude e o prêmio dela...".

    Oração: Assim como a palavra "jejum" abrange todas as mortificações corporais, da mesma maneira compreende a palavra "oração" todos os exercícios de piedade feitos neste tempo, com um recolhimento particular, como sejam: a assistência à Santa Missa, a Comunhão frequente, a leitura de bons livros, a meditação especialmente da Paixão de Jesus Cristo, a Via Sacra e a assistência às pregações quaresmais. 
    Esmola: Compreende as obras de misericórdia para com o próximo. Já no Antigo Testamento está dito: "Mais vale a oração acompanhada do jejum e da esmola do que amontoar tesouros" (Tobias XII-8).

Nenhum comentário:

Postar um comentário