SAUDAÇÕES E BOAS VINDAS

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO! PARA SEMPRE SEJA LOUVADO!

Caríssimos e amados irmãos e irmãs em Nosso Senhor Jesus Cristo! Sêde BEM-VINDOS!!! Através do CATECISMO, das HOMILIAS DOMINICAIS e dos SERMÕES, este blog, com a graça de Deus, tem por objetivo transmitir a DOUTRINA de Nosso Senhor Jesus Cristo. Só Ele tem palavras de vida eterna. Jesus, o Bom Pastor, veio para que Suas ovelhas tenham a vida, e com abundância. Ele é a LUZ: quem O segue não anda nas trevas.

Que Jesus Cristo seja realmente para todos vós: O CAMINHO, A VERDADE, A VIDA, A PAZ E A LUZ! Amém!

domingo, 8 de outubro de 2017

HOMILIA DOMINICAL - 18º Domingo depois de Pentecostes

Leituras: Primeira Epístola de São Paulo Apóstolo aos Coríntios 1, 4-8.


Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 9, 1-8:



 Naquele tempo, subiu Jesus a uma barca, atravessou para o outro lado e foi à sua cidade. E eis que Lhe apresentaram um paralítico, prostrado num leito. Vendo Jesus a fé que eles tinham, disse ao paralítico: Tem confiança, filho, os teus pecados te são perdoados. Pensaram logo alguns dos escribas em seu íntimo: Este homem blasfema. E Jesus, penetrando-lhes os pensamentos, disse: Por que pensais mal em vossos corações? Que é mais fácil dizer: Teus pecados te são perdoados ou dizer: Levanta-te, e anda? Pois, para que saibais, que o Filho do homem tem na terra o poder de perdoar pecados, disse, então, ao paralítico: Levanta-te, toma teu leito, e vai para a tua casa. E ele levantou-se e foi para a sua casa. As multidões, vendo isto, encheram-se de temor e glorificaram a Deus, que tal poder confiava aos homens. 


Caríssimos e amados irmãos em Nosso Senhor Jesus Cristo!

Lago (Mar) da Galileia ou Tiberíades ou de Genesaré.
Água doce, formado pelo Rio Jordão.
Em hebraico: Kinneret  que significa harpa, cujo formato o
lago imita. 
O que o Santo Evangelho de hoje nos relata deu-se no fim do primeiro ano da vida pública de Nosso Senhor Jesus Cristo. O relato de São Mateus, que é o de hoje, é o mais curto. Os Evangelistas São Marcos e São Lucas ajuntam alguns pormenores muito importantes e interessantes: São Lucas V, 17 diz: "Estavam ali Fariseus e Doutores da Lei, vindos de todas as cidades da Galileia, da Judeia e de Jerusalém". Isto mostra como já era grande a reputação do novo Profeta. São Marcos II, 2-5 diz: "Soube-se que Ele estava em casa, e juntou-se muita gente, de modo que não cabia nem mesmo diante da porta; e Ele pregava-lhes a palavra. E foram ter com Ele, conduzindo um paralítico, que era transportado por quatro. E como  não pudessem apresentá-lho por causa da multidão, descobriram o teto pela parte debaixo da qual estava Jesus; e, tendo feito uma abertura, arriaram o leito em que jazia o paralítico".  Esta casa certamente era a de São Pedro. É, de fato, na casa de São Pedro, na Igreja Católica, que Jesus opera ainda hoje, a cura de tantos enfermos corroídos pela lepra do pecado, e que estão paralíticos espiritualmente falando, impossibilitados pelo pecado mortal, de qualquer atividade meritória para o céu.  
As ruínas da casa de São Pedro em Cafarnaum. Vemos as
bases da casa e podemos distinguir as divisões da
construção. Fica à beira do Lago de Genesaré. Era
fácil para São Pedro pescar.
Aqui nesta casa se deu o milagre do Evangelho de hoje,
como também a cura da sogra de São Pedro. 
  Jesus pregava-lhes a palavra: vemos como Nosso Senhor não perdia nenhuma oportunidade de pregar a sua doutrina do reino dos Céus. 
  Eis que alguns conduziam num leito um paralítico... O pobre paralítico, por causa de sua doença, era incapaz de vir sozinho. Quatro homens transportavam-no, então, e estavam dispostos a não recuar diante de nenhum obstáculo até chegar ao pé de Jesus, tão grande era a sua confiança em Nosso Senhor. Admiremos e imitemos a caridade e a fé destes intrépidos homens. Eles ensinam-nos como devemos prestar auxílio aos pobres doentes e socorrê-los mesmo que nos pareça muito difícil. 
 São Mateus, o Evangelista da narração do Evangelho de hoje, diz que Jesus entrando numa barca, atravessou o Mar da Galileia e foi à sua cidade. A cidade de Jesus era Cafarnaum. Sabemos que Jesus era Judeu porque nasceu em Belém que fica na Judeia.  É também Galileu porque morou mais de vinte anos na casinha de sua Mãe Santíssima em Nazaré da Galileia. Mas, na sua vida publica de três anos, a sua moradia ordinária era em Cafarnaum. Esta cidade, era, portanto, o centro das suas excursões apostólicas na Galileia. Aí Jesus fez mais milagres do que em outros lugares. 
Sobre as ruínas da casa de São Pedro (foto acima), foi
construída esta igreja em estilo moderno. Tudo indica
que o arquiteto quis dar-lhe a forma de uma barca.
Esta construção protege inteiramente a casa de
São Pedro. 
  Caríssimos, depois destas observações, passemos para a explicação dos milagres. Neste Evangelho Nosso Senhor Jesus Cristo dá três provas irrefutáveis da sua Divindade: 1ª perdoando os pecados ao paralítico; 2ª descobrindo os pensamentos secretos dos Escribas e Fariseus; 3ª curando o paralítico da sua doença. 
  Vendo Jesus a fé daqueles homens, - os que conduziam o paralítico e o próprio doente, - disse ao paralítico: "Filho, tem confiança, os teus pecados te são perdoados". Belas palavras que o mundo nunca tinha ouvido. Jesus chama filho a este pobre enfermo quase abandonado. É esta uma expressão de amizade e de ternura que a Igreja conservou. Ela também diz ao penitente arrependido, que se lhe apresenta para receber a cura dos pecados - Meu filho! tem confiança, vai em paz! Todos os teus pecados foram perdoados! A única Igreja fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo recebeu d'Ele este poder divino de perdoar pecados: "A quem perdoardes os pecados, disse Jesus aos Apóstolos e aos seus sucessores, ser-lhes-ão perdoados" (São João, XX, 23). 
  Nosso Senhor, infinitamente sábio e bom, começa antes de tudo, por curar a alma deste infortunado, para provocar a admiração dos soberbos Fariseus, e manifestar-lhes o seu poder divino. Em segundo lugar, Jesus quer fazer-nos compreender que os bens espirituais estão infinitamente acima dos bens e dos lucros temporais; que os tesouros da graça e a vida da alma, são preferíveis às honras, às riquezas, à própria saúde e à vida do corpo, que, por conseguinte, é preciso, antes de tudo, ter piedade e ocuparmo-nos da nossa alma. É assim que Ele queria reformar as ideias falsas e mundanas de tantos cristãos da atualidade, que só apreciam e procuram a saúde e as vantagens materiais. Em terceiro lugar, Nosso Senhor quer fazer-nos compreender um mistério da justiça divina muito desconhecido ou muito esquecido, a saber: Nem sempre, mas, muitas vezes, os nossos pecados são a causa das doenças e doutros males que nos afligem. Talvez que Deus nos poupasse estes males ou os fizesse cessar, se fizéssemos verdadeira e sincera penitência dos nossos pecados. Lembremo-nos do povo de Nínive. 
  O primeiro milagre de Jesus, nesta circunstância, tinha sido curar a alma do paralítico, prova infalível da sua onipotência como Deus. Faz um segundo milagre, igualmente de ordem sobrenatural, o qual atesta a sua onisciência divina e deveria ter convertido estes homens soberbos. Jesus penetra os seus mais íntimos pensamentos. Só Deus vê o fundo dos corações: "Deus intuetur cor" diz a Bíblia. Jesus pondo a nu as suas murmurações interiores, prova-lhes que é Deus e que por isso pode perdoar os pecados.
   Mas Jesus vai dar ao povo uma terceira prova de que Ele é Deus: vai curar o paralítico. "Que é mais fácil dizer: Teus pecados te são perdoados ou dizer: Levanta-te, e anda? Pois, para que saibais , que o Filho do Homem tem na terra o poder de perdoar pecados, disse, então, ao paralítico: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para a tua casa. E ele levantou-se e foi para a sua casa". 
  É, caríssimos, como se Nosso Senhor dissesse: vede como sois cegos e injustos! Vós desconheceis o meu poder sobre as almas. Ora para vos provar que todo o poder me foi dado por meu Pai sobre elas e sobre os corpos e que eu sou Deus como Ele, vou dar-vos um sinal visível e manifesto, isto é, vou fazer diante de vós um milagre, que podereis verificar por vós mesmos. Ele será a demonstração sem réplica de que tenho também o poder admirável e misterioso de perdoar os pecados.
  Em outras palavras: Se Jesus pode dizer a um paralítico - levanta-te e anda, - pode também perdoar-lhe os pecados. Se pode perdoar-lhe os pecados, é certamente Deus. Jesus deixa claro que lê no íntimo daqueles Fariseus os seus pecados de maus pensamentos, como vê também no íntimo da alma do paralítico, os seus pecados e seu arrependimento. Logo é Deus. Se faz milagres, se lê no íntimo das almas, é prova de ser Ele Deus. Por isso, pode perdoar os pecados. 
  Infelizmente, os Fariseus não se converteram. O orgulho é o sinal mais certo da condenação de uma alma. Também os fariseus de hoje não aceitam a consequência lógica das premissas estabelecidas por eles mesmos. 
   Pela graça de Deus, sabemos que Jesus Cristo é, ao mesmo tempo, Deus e Homem. Adoremo-Lo portanto com amor, agradeçamos-Lhe ter deixado aos seus ministros este sublime poder sobre as almas, poder maravilhoso e divino de perdoar os pecados e vamos pedir aos representantes de Deus, a cura da nossa pobre alma, todas as vezes que ela estiver doente, para recebermos novas forças, triunfarmos do demônio e alcançarmos a felicidade eterna. Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário