SAUDAÇÕES E BOAS VINDAS

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO! PARA SEMPRE SEJA LOUVADO!

Caríssimos e amados irmãos e irmãs em Nosso Senhor Jesus Cristo! Sêde BEM-VINDOS!!! Através do CATECISMO, das HOMILIAS DOMINICAIS e dos SERMÕES, este blog, com a graça de Deus, tem por objetivo transmitir a DOUTRINA de Nosso Senhor Jesus Cristo. Só Ele tem palavras de vida eterna. Jesus, o Bom Pastor, veio para que Suas ovelhas tenham a vida, e com abundância. Ele é a LUZ: quem O segue não anda nas trevas.

Que Jesus Cristo seja realmente para todos vós: O CAMINHO, A VERDADE, A VIDA, A PAZ E A LUZ! Amém!

domingo, 19 de março de 2017

HOMILIA DOMINICAL - 3º Domingo da Quaresma



  Leituras: Epístola de São Paulo Apóstolo aos Efésios, V, 1-9.
                    Continuação do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas, XI, 14-28: 


 
A existência dos demônios é de fé. A Bíblia descreve
a rebelião de Lúcifer e a luta dos anjos bons chefiados
por São Miguel, contra os anjos maus chefiados por
Lúcifer(=Dragão, antiga serpente, Satanás; Confira
Apocalipse, XII, 7-9).
  E os demônios foram lançados no inferno.
Diz São Pedro que o demônio é nosso adversário e
que está em torno de nós como um leão rugindo e
procurando nos devorar (Cf. 1 Pedro, V, 8-9).
 Na explicação do Evangelho
deste domingo, falaremos mais sobre os demônios,
segundo as explicações do próprio Jesus. 
 
"Naquele tempo, expulsou Jesus a um demônio, e ele era mudo. E tendo lançado fora o demônio, o mudo falou e as multidões se admiraram. Alguns deles, porém, disseram: É por Belzebu , príncipe dos demônios, que ele expulso os demônios. E outros para tentá-Lo, pediam um sinal do céu. Conhecendo, porém, os seus pensamentos, Jesus disse-lhes: Todo reino dividido em si mesmo será destruído e uma casa cairá sobre outra. Se, pois, satanás está em desacordo em si mesmo, como subsistirá seu reino? Dizeis que é por Belzebu que expulso os demônios. Ora, se é por Belzebu que expulso os demônios, vossos filhos por quem os expulsam? Por isso eles próprios serão os vossos juízes. Se, entretanto, é pelo dedo de Deus que expulso os demônios, é evidente que chegou para vós o Reino de Deus. Quando um poderoso guarda armado a entrada de sua casa, em paz está tudo o que possui. Se sobrevier, porém, outro mais forte do que ele e o vencer, tirar-lhe-á todas as suas armas, em que confiava, e repartirá os seus despojos. Quem não está comigo é contra mim; e quem não recolhe comigo, dispersa. Quando o espírito imundo sai de um homem, anda por lugares secos, buscando repouso, e não encontrando diz: Voltarei para minha casa de onde saí. E quando vem, e encontra-a varrida e ornada, vai e toma consigo outros sete espíritos piores do que ele, e, entrando, aí fazem habitação. E o último estado desse homem torna-se pior do que o primeiro. Quando Ele assim falava, uma mulher, levantando a voz, do meio do povo, disse-Lhe: Bem-aventurado o ventre que Te trouxe e os seios que Te amamentaram. Ele, porém, respondeu: Bem-aventurados, antes, aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática". 

   Caríssimos e amados irmãos em Nosso Senhor Jesus Cristo!

   Este demônio mudo, ou seja, aquele que provoca nas almas o mutismo espiritual, é terrível! Nosso Senhor Jesus Cristo diz, no Santo Evangelho de hoje, que, quando o demônio é expulso de uma alma, ele procura voltar, e, se o consegue, já não volta só, mas com sete espíritos piores do que ele. Na explicação da primeira imagem postada na explanação  do Evangelho do domingo passado, também vimos que Jesus disse para seus Apóstolos que há certa espécie de demônio que só se expulsa com jejum e oração. Donde concluímos que, embora, todos sejam espíritos malignos, invejosos e perversos, há uns piores do que outros. E este demônio mudo talvez seja do número dos piores, porque, constatamos que ele perde muitas e muitas almas. Na verdade o mutismo espiritual é muito perigoso.

   É um perigo não só para a oração, como também para o cumprimento dos deveres de caridade e do nosso estado e para a acusação dos pecados na confissão.

   Assim como o lobo ao apanhar uma ovelha a pega pelo pescoço, assim o demônio mudo torna as almas mudas para que não orem, isto é, para que não gritem pelo socorro divino. Sem oração não pode haver virtude sólida, santidade, nem salvação. Aquele, pois, que não ora está desarmado, torna-se inevitavelmente presa do demônio. Caríssimos, infeliz da alma que assim está muda para Deus e não sabe nem quer orar. No entanto, infelizmente, quantos cristãos, que nunca oram, nem a sós, nem em família; e se alguma vez se dão à oração fazem-na tão mal, com tantas distrações voluntárias, com tanto tédio que nem Deus é louvado, e o demônio consegue seu intento.

   O mutismo espiritual é também um perigo para os deveres de caridade e para os do nosso estado. Isto diz respeito principalmente aos deveres de instrução e correção fraterna que pertencem aos bispos, aos párocos, pais, patrões e outros superiores encarregados de corrigir e educar os que lhes estão confiados. Se os superiores só se preocupam em salvaguardar os seus direitos pessoais e se tornam cúmplices do demônio e das paixões, contraem perante Deus uma culpabilidade, segundo as circunstâncias, e tornam-se responsáveis pela perda das almas. Assim diz o profeta Isaías: Ai de vós, cães mudos!... De vossas mãos, pedirei contas de seu sangue!

   Não é a verdadeira humildade que prende a língua, mas o demônio que fecha a boca. Quantos pecados não podíamos evitar, quantas almas não podíamos conduzir à salvação ou tornar mais perfeitas!

  Embora este dever obrigue primeiramente os superiores, no entanto, devemos dizer que todos, sem exceção têm o dever de avisar caridosamente o seu próximo, e, podendo, com toda prudência, deve livrar o seu próximo do pecado.

   Caríssimos, quero, no entanto, salientar a obrigação dos Eclesiásticos. Na verdade, é o respeito e os interesses humanos que impedem que os superiores eclesiásticos se declarem publicamente por Deus, por Jesus realmente presente na Hóstia Consagrada. Lamentam talvez internamente os sacrilégios, mas não falam contra eles. Mantêm a verdade cativa, e não ousam confessar publicamente a sua fé, ainda mesmo quando o silêncio é uma espécie de apostasia. Os estragos do demônio mudo nunca são tão deploráveis como quando exerce a sua tirania sobre os mesmos Pastores. O maior triunfo deste demônio terrível é encadear a palavra sacerdotal. Ou fecha a boca aos ministros do Senhor, ou não lhes permite que falem senão com timidez, quando deviam falar com energia. Pastores, "cães mudos", quando não corrigis, com prudência é verdade, mas também com a santa liberdade que vos convém, os pecadores escandalosos que pervertem o povo, os libertinos, os blasfemos, os profanadores do Santíssimo Sacramentos; quando, na administração dos sacramentos, não ousais advertir quanto seria necessário, para que os recebam com respeito e fruto; quando no sagrado tribunal poupais a delicadeza dos culpados, à custa da sua salvação, deixando-os na ignorância das graves obrigações que só vós podeis ensinar-lhes, então concedeis ao demônio mudo um funesto triunfo; e mereceis esta censura de São Cipriano: "Que cruel misericórdia é essa, que consiste, não em curar o ferido, mas em esconder a sua ferida, para nela, encerrar a morte? 

   O Pastor de almas deve ser prudente e circunspecto, mas ao mesmo tempo deve ser firme e animoso. "Deus dissipará os ossos daqueles que procuram agradar aos homens" (Sl. LII, 6). "Deus castigará os tímidos tanto como os mais criminosos" ( Apoc. XXI, 8).

   Mas, caríssimos e amados irmãos, em se tratando do mutismo em relação a confissão, podemos dizer que é aqui que o demônio mudo triunfa. Vejam: uma pessoa desejava aliviar-se do peso que a oprimia; sentia-se vivamente incitada  a ser sincera; tinha começado bem; uma palavra mais, e tem o Céu seguro, e na vida presente uma paz que sobrepuja todo o entendimento; uma palavra menos, e merece o inferno, e desde já o remorso que a dilacera. Que poder oculto fez morrer em seus lábios essa palavra indispensável? - O demônio mudo - .Ah! quantas almas o demônio mudo conserva encadeada pelo mutismo! Um grande número de almas, por tentação do demônio, por falta de humildade, ocultam os seus pecados em confissão ou porque se envergonham deles ou porque não querem corrigir-se.

   Caríssimos e amados irmãos, o Sacerdote que ouve os pecados faz as vezes de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele tem para os penitentes um coração de pai; não se admira porque sabe as misérias em que o homem pode cair; não os envergonha nem despreza, mas ama-os, ajuda-os, consola-os e cura-os. Sente uma alegria celestial mas que levará para o túmulo. Oh! almas remidas com o Sangue de Jesus Cristo, por amor de Deus, não consintais por mais tempo sobre vós o jugo deste demônio mudo, se é que tendes feito confissões sacrílegas. Mas também não vos lanceis no desespero como Judas. Vinde, antes como Pedro e Madalena lançar-vos aos pés de Jesus Cristo, vosso doce Salvador, que vos chama, vos espera e receberá como ao filho pródigo.

   Caríssimos, pedi a Deus luz e força para que, livres da escravidão do demônio, sejais fiéis a Deus em tudo, servindo-O e amando-O como filhos queridos e esperando a eterna recompensa na Pátria do repouso eterno. Amém!

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário