SAUDAÇÕES E BOAS VINDAS

LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO! PARA SEMPRE SEJA LOUVADO!

Caríssimos e amados irmãos e irmãs em Nosso Senhor Jesus Cristo! Sêde BEM-VINDOS!!! Através do CATECISMO, das HOMILIAS DOMINICAIS e dos SERMÕES, este blog, com a graça de Deus, tem por objetivo transmitir a DOUTRINA de Nosso Senhor Jesus Cristo. Só Ele tem palavras de vida eterna. Jesus, o Bom Pastor, veio para que Suas ovelhas tenham a vida, e com abundância. Ele é a LUZ: quem O segue não anda nas trevas.

Que Jesus Cristo seja realmente para todos vós: O CAMINHO, A VERDADE, A VIDA, A PAZ E A LUZ! Amém!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

PENITÊNCIA EXTERIOR

   A penitência exterior também é importante. É o fruto, manifestação e natural consequência da penitência interior. 
   O homem não peca só com a alma, mas também com o corpo: os dois são cúmplices no ato do pecado. É justo, por conseguinte, que não só se doa a alma, mas também o corpo; e que o corpo e a alma conspirem, a uma, no exercício da penitência.

   MOTIVOS DA PENITÊNCIA EXTERNA:

  1. Conserva melhor a sensibilidade na submissão ao espírito e no cumprimento de tudo o que nos impõem os deveres do nosso estado. Se damos ao corpo tudo o que ele reclama, se afastamos dele tudo o que o mortifica, tornamo-lo indolente, inapto para o trabalho, revoltoso e indomável. Mas à força de penitência, o corpo se torna dócil, submisso, não se revolta tão facilmente contra o espírito e se torna mais apto para a virtude.
  2. Ajuda-nos a obter certas graças: como luzes na meditação, solução de certas dificuldades, socorro nas tentações, diminuição nos ataques da impureza, fervor na oração e união com Deus. Para todas estas graças é excelente a prática da penitência. Santo Inácio derramou muitas lágrimas e fez muitos jejuns para obter a luz celeste na redação de suas Regras e Constituições. Santo Tomás de Aquino se dispôs com sangrentas disciplinas para a interpretação das passagens difíceis da Sagrada Escritura. No Prefácio da Missa no tempo quaresmal diz-se: "Corporali jejunio vitia comprimis, mentem elevas, virtutem largiris et praemia" = "Com o jejum corporal reprimis os vícios, elevais a mente, concedeis virtudes e prêmios". É por isso que no tempo da Quaresma nos sentimos mais inclinados à virtude, santos e consoladores pensamentos nos iluminam a mente e nos movem o coração. 
  3. Satisfaz pelos pecados passados e pela pena temporal que lhes é devida. Desta maneira a penitência é uma réplica do espírito à rebelião da carne, e torna-se um ato de justiça, restabelecendo a ordem. Por este motivo, a prática da penitência nos é, todos os dias, necessária, pois todos os dias pecamos. Somos como um barco, que mete água, e que todo o dia deve ser esvaziado. É, pois, uma loucura deixar a solução desta dívida para a eternidade, onde a expiação será mais longa e penosa e sem merecimento. Agora tudo o que fazemos pela satisfação dos nossos pecados é fácil, proveitoso e meritório. Dizia Santo Agostinho: "Hic ure, seca, hic non parcas, ut in aeternum parcas" = "Aqui (Senhor) queimai, cortai, aqui não me poupeis, para que me poupeis na eternidade". É bom que nos exercitemos, cada dia, em algum ato de penitência para satisfazer a Deus pelos nossos pecados. 
  4. O exemplo dos Santos nos deve também mover à penitência, e, em primeiro lugar, o de Nosso Senhor Jesus Cristo, que passou quarenta dias de rigoroso jejum. E dos Santos, qual é o que não fez penitência? Todos se deram a ela com ardor, e só a obediência e a consideração de um bem maior lhes punha limites a suas rigorosas austeridades. O espírito de penitência é, pois, próprio de todo o cristão.
    PRÁTICA DA PENITÊNCIA: De três maneiras podemos praticar a penitência:
  1. Na comida. Quando nos privamos do supérfluo, ainda não é penitência; é só temperança. Praticamos a penitência, quando nos privamos do conveniente, e até do necessário contanto que nisto não prejudiquemos a saúde, nem nos exponhamos a alguma enfermidade. Moderar o excesso é temperança; cercear o conveniente é penitência. O jejum é penitência, porque nos impõe uma única refeição ao dia. Como a penitência não é fim, mas somente meio, devemos exercê-la tanto quanto conduz à nossa santificação. O que dissemos da comida, se deve dizer da bebida; e nesta, principalmente, convém exercitar a penitência; porque as sua abstenção não prejudica a saúde, antes a favorece. Nunca devemos fazer penitência de passar sede, pois, a água é indispensável para a saúde. Podemos sim, e devemos, caso passemos alguma sede inevitável, oferecê-la a Deus,com amor. 
  2. No dormir. Enquanto ao dormir, exercita-se a penitência tirando ao sono conveniente quanto se pode tirar sem prejuízo da saúde. Tirar o supérfluo de coisas delicadas e moles não é penitência, mas simplesmente temperança. Os Santos todos faziam penitência no modo de dormir: uns dormiam no chão, outros com uma pedra por cabeceira (vi em Pádua o travesseiro de Santo Antônio, - uma pedra; vi em Ávila o travesseiro de Santa Teresa, - um pedaço de madeira); outros colocavam alguma coisa para tornar o leito incômodo. Se o Espírito Santo nos mover a usar de alguns destes modos de penitência, devemos consultar o nosso diretor espiritual, para em tudo nos guiarmos por seus conselhos. Se ele não permitir, nunca devemos fazer. Do contrário, se a pessoa persistir no intento e desobedecer, é sinal de que não se tratava de inspiração do Espírito Santo mas do espírito maligno. Levantar cedo, desde que durma o necessário para a saúde, é uma ótima penitência: faz bem à saúde e à santidade. No tempo da Quaresma até o tempo da Paixão, os sacerdotes rezam no Breviário todos os dias: "Non sit vobis vanum mane surgere ante lucem, quia promisit Dominus coranam vigilantibus" = Não vos pareça coisa supérflua levantar bem cedo antes de aparecer a luz, porque o Senhor prometeu uma coroa aos que vigiam".
  3. No castigo do corpo. Este gênero de penitência consiste em causar a dor em nosso corpo com cilícios, disciplinas, cordas etc, que provocam dor, contanto que não prejudiquem a saúde. A penitência será sem perigo para a saúde e ao mesmo tempo deverá causar incômodos à nossa natureza inclinada à sensualidade. Na ascese inaciana castiga-se a carne conservando-a apta para o trabalho. Quem se preocupa DEMASIADAMENTE  com a saúde do corpo, termina prejudicando a do corpo e a da alma. Prejudica a saúde da alma, porque não faz penitência nenhuma; prejudica a saúde corporal, porque a preocupação demasiada com a saúde já é uma doença. Mas é mister estar sempre lembrando: a penitência deve ser discreta (o mais oculta possível, com muita prudência), humilde e obediente. 
     Ditosa penitência, que paga a dívida das nossas culpas, lavra a coroa da nossa glória, domina os nossos apetites, desfaz as nossas dúvidas, diminui os nossos vícios, obtém-nos as graças de Deus e estreita-nos à Cruz de Cristo! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário